Desde 1997, a Criogênesis adota a tecnologia de aférese para produzir os fatores de crescimento plaquetário e células-tronco para ortopedia, odontologia, oftalmologia, dermatologia e cirurgia plástica.

O termo aférese refere-se  à retirada de uma pequena parte do sangue do paciente, seguida da sua separação nos vários componentes através de centrifugação, seleção de um componente por refrator óptico e subsequente devolução dos elementos remanescentes. Essa é a única tecnologia aprovada internacionalmente para coleta de plaquetas com finalidade transfusional, além de oferecer um produto com o menor nível de contaminação de hemácias e deleucotizado ( sem presença de leucócito) . Um produto puro de plaquetas produzirá uma regeneração sem exacerbação do processo inflamatório.

A utilização dos fatores de crescimento plaquetário estimula a formação de novos vasos e potencializa o efeito antiinflamatório e analgésico. O conjunto destas ações determina um balanço favorável ao bem estar do paciente, pois reduz o tempo de regeneração dos tecidos e estabelece um tratamento praticamente indolor.

PRP – Plasma Rico em Plaquetas é obtido por aférese é o procedimento que garante uma concentração adequada de plaquetas do próprio paciente com finalidade de regeneração tecidual.

Além de estar indicado para lesões em atletas de alto desempenho, o uso do PRP quando bem indicado, torna possível p. ex., o tratamento de pseudoartroses. O sucesso das terapias em lesões osteomusculares com o PRP depende de vários fatores, mas também da tecnologia usada no preparo do produto a ser aplicado.

Grande parte da alta qualidade do PRP vem do sistema de aférese. Essa é a tecnologia de preparo mais confiável, já que processa automaticamente o sangue periférico e permite a coleta de altas concentrações de plaquetas que estimulam o desenvolvimento de células-tronco e a regeneração do tecido da lesão. Tudo com baixíssimos riscos de contaminação, já que a aférese é um tipo de filtragem do sangue realizada em equipamento próprio, em ambiente fechado.

 

A Criogênesis adotou o sistema de aférese para a obtenção das plaquetas para uso na regeneração tecidual. Esse equipamento, utilizado em rotinas de transplante de células-tronco e atividades transfusionais, permite separar o elemento sanguíneo desejado retornando todo o sangue remanescente ao paciente.

Os resultados obtidos quanto à concentração plaquetária são expressivamente melhores que outros sistemas, mais simples e rudimentares.

Além disso, oferece um processamento em sistema fechado, garantindo um procedimento estéril.

Plasmaférese – é a troca plasmática do paciente usando a tecnologia de aférese. Usado para o tratamento de doenças mediadas por anticorpos.

Fotoferese Extracorpórea – é uma modalidade de terapia celular que tem demonstrado eficácia no tratamento de doenças auto-imunes, mediadas por células T e ainda induzir tolerância em transplantes de órgãos sólidos. Essa técnica funciona por meio da ação fotobiológica do 8 –MOP (metoxalen-UVADEX) sobre os leucócitos, adquirido após a exposição à irradiação UVA, causa apoptose de células T e ativação de monócitos resultando a um efeito imunomoulador e anticlonotípica.

Principais indicações:

  • Linfoma de células T cutâneo / Síndrome de Sezary,
  • Doenças enxerto – versus – hospedeiro após transplante de células-tronco hematopoiéticas,
  • Esclerodermia,
  • Doença de Crohn,
  • Pênfigo vulgar,
  • Rejeição de órgãos sólidos (coração e pulmão).

 

 

Bibliografia:

Szczepiokowski ZM, Winters JL, Bandarenko N, Kim HC, Linenberger ML, Marques MB, Sarode R, Schwartz J, Weinstein R, Shaz BH, Apheresis Applications Committee of American Society for Apheresis. Guidelines on the use of therapeutic apheresis in clinical practice – evidence – based approach from the Apheresis Applications Committee of the American Society for Apheresis. J. clin Apher. 2010; 25 (3): 83 – 177.