O segredo para seu filho se comportar melhor? Demonstrar seu amor

Quando-devo-dizer-não-para-os-filhos.jpg

Disciplinar com empatia é a chave para contornar os momentos explosivos das crianças, fazendo-as ter desejo de mostrar seu melhor aos pais, segundo estudo

Ao sermos desafiados por nossos filhos é difícil não perder a cabeça e cair na tentação de responder as provocações à altura. No entanto, fazer o caminho inverso, ou seja, demonstrar uma dose extra de amor e tranquilizá-los nos momentos de fúria funciona mais do que as medidas corretivas. Foi o que demonstrou uma análise de mais de 150 estudos, que envolveu mais de 15 mil famílias de 20 países, publicada na revista Child Development.

No estudo, as respostas dos pais de crianças entre 2 a 10 anos com comportamento explosivo, foram definidas em duas categorias: o que tinham como objetivo “melhorar” o relacionamento (sendo mais sensível às necessidades da criança, por exemplo), ou “administrar” o comportamento (com disciplina por mau comportamento e/ou elogios ao comportamento positivo).

A pesquisa mostrou que quando esses dois comportamentos eram aliados, ou seja, quando os pais disciplinavam as crianças levando em conta a empatia, e respeitando as necessidades dos filhos, as crianças, especialmente as que já demonstravam sinais de explosão, tinham comportamentos melhores. O professor sênior de ciências sociais e saúde da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, G.J. Melendez-Torres, que foi co-autor do estudo, diz que “para as crianças que já desenvolveram um comportamento severamente perturbador, associar a construção de relacionamentos ao gerenciamento do comportamento é fundamental para reduzir esses problemas.”

Na prática isso significa mostrar ao seu filho que você o compreende, mas que as ações dele têm consequências, sempre se colocando em seu lugar, em vez de competir com ele, seja no tom de voz ou no nível de desgaste emocional. É como se você enxergasse o seu filho além daquela raiva ou estresse momentâneo, reduzindo assim o potencial daquele comportamento negativo.

A psicoterapeuta Mônica Pessanha, mestre em psicologia clínica pela PUC/SP, e professora de psicanalise infantil no Instituto Cinco de Desenvolvimento Humano (SP), está acostumada a lidar com esse tipo de situação e concorda com o estudo. Segundo ela, chamar a atenção da criança com amor é uma estratégia que a torna mais receptiva, já que percebe que é amada. “Por isso, quando um ‘não’ ou uma correção é feita carregada de empatia o resultado sempre será melhor, já que ela se sentirá respeitada. Consequentemente, passará a ter o desejo de sempre mostrar seu melhor para os pais”, diz.

Fonte: Revista Crescer


Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios *