Blog

CLASSIC LIST

casal-bebendo-1200x600.jpg

Pesquisas apontam que tanto mulheres quanto homens estão sujeitos a quedas nos níveis de fertilidade, mesmo que o consumo seja moderado

Não é novidade que o consumo de álcool está diretamente associado a diversas doenças graves como infarto, hepatite e cirrose. No entanto, pesquisas revelam que a ingestão de bebidas alcoólicas também pode causar problemas de fertilidade, tanto em homens quanto em mulheres.

Estudo publicado na revista British Medical Journal revelou que o consumo de álcool, mesmo se ingerido com moderação, reduz a taxa de fertilidade. Durante seis meses, pesquisadores avaliaram 430 casais dinamarqueses com idade entre 20 e 35 anos que desejavam engravidar pela primeira vez. Após o ajuste matemático para outras variáveis (cigarro, peso, concentração de esperma no parceiro, doenças nos órgãos reprodutores femininos), verificou-se que mulheres com ingestão semanal de 1 a 5 drinques tiveram uma chance de engravidar 39% menor e mulheres com ingestões acima de 10 drinques por semana tiveram uma chance de engravidar 66% menor.

Outro estudo dinamarquês, elaborado pela University Southern Denmark, mostrou que o álcool também influencia na qualidade e quantidade do sêmen. A pesquisa analisou amostras de mais de 1.200 homens entre 18 e 28 anos. Os que consumiram 40 latas de cerveja durante a semana que antecedeu os testes – em comparação aos que beberam entre uma e cinco latas – tiveram a contagem de esperma reduzida em 33% e uma queda de 51% na qualidade do material.

Segundo o ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, Renato de Oliveira, nos homens, o consumo recente de álcool reduz os níveis da globulina transportadora de esteroides sexuais e aumento os níveis de testosterona. Porém, a ação sobre a formação dos espermatozoides (espermatogênese) poderia ser resultado da ação direta do álcool ou relacionar-se com o estilo de vida e comportamento em relação à saúde de pessoas que estão acostumadas ao alcoolismo. Além disso, o álcool também pode afetar o desejo sexual e alterar a qualidade da relação”, explica. Já nas mulheres, o especialista ressalta que o álcool pode afetar a produção hormonal feminina, as características sexuais, suspender a ovulação ou a qualidade dos oócitos (gametas femininos). “Além disso, é importante citar que as taxas de fertilidade das mulheres que abusam do álcool também ficam comprometidas. Mulheres jovens alcoólatras podem ter chances de gravidez equiparadas as chances de uma mulher com mais idade e, no caso de gravidez, há riscos para o filho como a síndrome do alcoolismo fetal”, explica o especialista.


Mulheres-1200x800.jpg

Além da higiene correta, realizar exames regulares previne doenças e infecções

 Cada ciclo da vida tem suas características e requer atenção especial a alguns pontos. Essa tese é ainda mais importante quando falamos da saúde íntima da mulher. De acordo com Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, é necessário visitar periodicamente o ginecologista e fazer os exames solicitados afim de prevenir qualquer problema futuro. “Ao longo dos anos a saúde íntima sofre diversas alterações, seja pelo estilo de vida ou pela idade da mulher. Portanto, é imprescindível fazer consultas e exames regulares não só para prevenir ameaças, como também para contornar desequilíbrios que, ainda precoces, podem não manifestar sintomas”, ressalta.

Para manter a saúde íntima em dia, Dr. Renato separou os principais cuidados que a mulher deve ter em cada fase da vida.

20 anos – A partir dos 20 anos é importante evitar o uso de roupas muito justas e de tecidos grossos. Quanto às calcinhas, priorize as de algodão e coloque para secar sempre em um ambiente fresco e seco. “Nessa fase é necessário a realização de ultrassom pélvico e de mamas, pois eles ajudam na identificação precoce de alterações, como cistos nos ovários, ovários policísticos, endometriose, nódulos mamários, entre outros problemas”, recomenda Renato. Para a mulher que já teve a primeira relação sexual é necessário realizar o ultrassom pélvico transvaginal e, sobretudo, o Papanicolau, que detecta o câncer de colo de útero e anormalidades causadas pelo HPV.

30 anos – Durante essa fase a mulher deve ter cuidado especial com o sistema reprodutivo, pois aumentam as incidências de câncer de mama e de colo do útero. São repetidos os exames feitos na faixa dos 20 anos, mas novos testes são adicionados, como mamografia, para aquelas que possuem histórico na família, e radiografia de tórax, indicada para fumantes.

40 anos – Nessa faixa etária começa a preocupação com a menopausa, o que pode resultar na diminuição da produção dos hormônios femininos, o que torna comuns problemas como secura vaginal, sendo necessário avaliar a necessidade e indicação de cremes com ação estrogênica. “Além dos exames indicados para os 20 e 30 anos, a mamografia passa a ser obrigatória independente de histórico familiar. Também é importante acrescentar uma avaliação cardiológica, uma vez que ocorrem alterações hormonais que podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares”, alerta.

60 anos – Os exames são os mesmos, o que muda é a frequência em que são realizados. Cuidados com a osteoporose devem ser intensificados, com a realização periódica da densitometria óssea. “Os demais exames, laboratoriais, ultrassonografia, mamografia, colonoscopia, também não podem deixar de ser realizados”, finaliza.


Copo-de-suco-1200x800.jpg

A proposta ainda está sendo analisada pelo Senado

Um projeto que está tramitando no Senado prevê a proibição da distribuição e da venda de bebidas como refrigerantes, néctares, refrescos, chás prontos para o consumo e bebidas lácteas em escolas de educação básica públicas e privadas. A proposta é de iniciativa do senador Lindbergh Farias e o Projeto de Lei do Senado 346, de 2018, está na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) da casa, aguardando emendas.

O consumo excessivo de açúcar é um dos fatores de risco para problemas metabólicos como obesidade e diabetes tipo 2. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2012, houve 38 milhões de mortes por doenças crônicas não transmissíveis no mundo e este número pode chegar a 52 milhões em 2030. Câncer, diabetes, doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas representam 82% dessas mortes.

Consta no projeto que ficará proibida a distribuição e venda de bebidas formuladas industrialmente que contenham açúcar ou edulcorantes em seus ingredientes. Além disso, de acordo com o texto, as escolas deverão estabelecer normas e procedimentos para o cumprimento da proibição no âmbito de suas respectivas redes de ensino.

Em 2006, o Ministério da Educação publicou a Portaria Interministerial 1010/06, que institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional, favorecendo o desenvolvimento de ações que promovam e garantam a adoção de práticas alimentares mais saudáveis no ambiente escolar.

Depois de ser avaliado na Comissão de Assuntos Sociais, o projeto será analisado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte.

Fonte: Agência Senado


Gravida-fazendo-exercicio-1200x1200.jpg

Mas sempre com acompanhamento médico

Quando o assunto é trabalho de parto, muitas mulheres até se assustam. Claro, o mundo todo sabe que esse momento exige muito esforço da gestante e muita preparação. Assim que iniciado, você nunca sabe quando o trabalho de parto vai acabar e isso pode se tornar exaustante e intenso para a mulher.

Mas o que pouca gente sabe é que durante os nove meses de gravidez você pode se preparar para amenizar as dores antes e durante o procedimento do parto de uma forma muito simples: com exercícios.

Sim! Com uma simples caminhada você pode evitar dores musculares durante e após o parto, pois isso fará com que suas pernas se fortaleçam. É fundamental e funciona independente da posição do nascimento.

Fonte: Revista Pais e Filhos


Criança-com-avó-1200x800.jpg

A presença dos pais na criação das crianças é mais do que fundamental, disso todo mundo sabe. Mas você sabia que existem outras peças essenciais para que seu filho tenha uma infância incrível? De acordo com um estudo realizado e publicado na London School of Economics and Political Science, a relação com as avós, principalmente as maternas, também é muito importante.

Após revisar 45 pesquisas de famílias do mundo todo, o estudo concluiu que uma criança cresce mais feliz quando os pais recebem a ajuda de algum familiar na criação, principalmente se essa ajuda vier da avó materna. E tudo isso por conta de toda energia que as mães acabam gastando no cuidado do bebê, então, o ideal é dividir esse momento com as avós.

Por isso, a presença de um parente ajudando na criação da criança aumenta as taxas de sobrevivências delas, pois se algo acontece com os pais, as avós estão ao lado e são responsáveis. Mas calma, óbvio que as avós paternas também são MUITO benéficas para os netos. O amor de avó é incrível, não tem jeito!

Fonte: Revista Pais e Filhos


espermatozoide-infertilidade-masculina-1.jpg

Estudo mostra que essas substâncias praticamente não afetam os espermatozoides

Há tempos que as substâncias antioxidantes são usadas e recomendadas para o tratamento da infertilidade masculina. Elas ajudariam a reduzir o estresse oxidativo nos espermatozóides, no entanto, um estudo americano recente não encontrou evidências de que esses suplementos fazem diferença nas chances do homem ter capacidade de reproduzir. A informação foi divulgada pelo tabloide britânico Daily Mail.

O ensaio clínico, liderado pela professora Anne Steiner, da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, nos Estados Unidos, foi realizado com 174 casais em oito centros americanos de fertilidade. Os cientistas encontraram mudanças “leves” na qualidade dos espermatozoides depois de três meses, mas, segundo os especialistas, isso não foi suficiente para fazer diferença em termos de fertilidade.

Todos os homens avaliados pelo estudo foram diagnosticados com infertilidade e foram levados em conta quatro fatores que afetam a qualidade do esperma: concentração de espermatozoides; motilidade, ou a capacidade do gameta masculino nadar habilmente em direção ao óvulo; morfologia, que se refere ao tamanho e à forma do espermatozoide; nível de fragmentação do DNA no sêmen acima do “normal”. Estes parâmetros espermáticos foram medidos no início do ensaio e após três meses.

Enquanto a espermatogênese (processo de amadurecimento do espermatozoide) leva 74 dias, o impacto dos antioxidantes no sêmen, conforme os cientistas americanos é de curto prazo, o que significa que os efeitos deveriam ser observados logo após o início do tratamento. Portanto, após três meses, seria possível rastrear o impacto desses suplementos.

Os voluntários receberam suplementos contendo as vitaminas C, D3, E e L-carnitina (B11); ácido fólico; zinco; e selênio. O grupo de controle recebeu um placebo. Ao final do ensaio clínico, os pesquisadores não encontraram diferenças estatisticamente significativas entre os homens avaliados.

Não foram registradas diferenças significativas na concentração de espermatozoides, na morfologia, na motilidade ou nas medidas de fragmentação do DNA. O grupo que recebeu os suplementos teve uma taxa de concepção de 10,5%, em comparação com 9,1% dos que receberam o placebo.

Fonte: Revista O Encontro


Crianca-brincando-nas-ferias.jpg

Sabia que meia hora por dia já faz diferença? Aproveite as férias e se joga!

As férias de julho chegaram e nós sabemos que brincar é muito importante para desenvolver uma série de questões nas crianças, como: a integração, a parceria, a noção do corpo e do espaço, o raciocínio lógico e a criatividade. É na brincadeira que são testados o aprendizado de normas, as regras de convivência e a interação de pais com filhos de uma forma lúdica que só é possível na infância.

Por isso, nada melhor do que incentivar este tipo de atividade, principalmente nesse período de descanso e, é claro, longe do tablet e do celular! De acordo com Maibí Mascarenhas, pedagoga e coordenadora da pós-graduação em Educação Inclusiva do IBFE (Instituto Brasileiro de Formação de Educadores), para que as crianças entendam que é preciso saber brincar sem os eletrônicos, os pais devem ser o exemplo, principalmente na primeira infância – que é até os seis anos.

“Os pais também devem se lembrar de reservar todos os dias, principalmente neste período, pelo menos meia hora para brincar somente com os filhos. Quando a família direciona esse tempo, o momento fica com cara de férias, a criança vai sentir esse momento valorizado e criar uma estrutura emocional”, contou Maibí.

O brincar sozinho desenvolve estruturas individuas de raciocínio e mostra o jeito que a criança vê o mundo – no caso de jogos simbólicos, como brincar de casinha, médico, ou tudo o que simboliza o real – o que para ela é importante. Algumas outras brincadeiras legais para fazer sozinho são: jogos de carta, tabuleiro e circuitos – como, por exemplo, montar um caminho com bambolê, corda, caixas, petecas, bambolês e etc.

Já o brincar com outras pessoas, sejam elas adultas ou da mesma idade da criança, incentiva o olho no olho, as risadas juntos, além da noção do perder e ganhar como algo saudável. Veja algumas brincadeiras coletivas e suas regras:

Ovo choco: As crianças se posicionam em roda, enquanto um participante fica em pé, segurando uma bola ou um pequeno objeto. Este gira em torno da roda durante a música, até que se dê o comando de todos fecharem os olhos. A pessoa em pé esconderá o objeto atrás de alguém e, ao dizer que podem olhar, a criança com o ovo choco atrás dela deverá correr em círculo para pegar o colega que estiver em pé. Por sua vez, este deverá sentar no lugar da que levantou e a brincadeira será iniciada novamente.

Queimada: Individual ou em times, o objetivo é queimar o adversário com uma bola de meia ou outro objeto maleável. Há versões em que a pessoa queimada não volta ao jogo e outras que, caso a bola seja agarrada no ar pela pessoa já queimada, ela poderá voltar ao jogo.

Esconde-esconde lata de sardinha (muito legal para as crianças pequenas): Inverso ao esconde-esconde original, uma pessoa se esconde e quem encontrá-la deve se esconder com ela, em silêncio. O último a encontrar o esconderijo perde.

Seu lobinho, seu lobão: O pegador fica distante e de costas para as demais crianças, que estão em linha, lado a lado. Elas perguntam que hora são e o pegador diz a quantidade de horas. Por exemplo: se ele disser 02 horas, as crianças dão 02 passos, na mesma linha. Quando o pegador disser que é meia noite, virará para pegar os demais. Se forem pegos antes de chegarem no pique, também virarão pegadores.

Fonte: Revista Pais e Filhos


Diabetes.jpg

O controle da glicemia ajuda a evitar complicações por diabetes. Condição está associada a morte por doenças cardiovasculares e a amputações de membros inferiores

O Brasil registrou crescimento de 12% no número de mortes por diabetes entre 2010 e 2016, mostram dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). Foram 54.877 mortes em 2010 para 61.398 no ano de 2016.

Em todo o período, o país registrou 406.452 mortes de brasileiros que tiveram relação com a doença. Já a quantidade de internações por diabetes sofreu queda: foram 148.384 em 2010; e 135.364 em 2016.

“A diabetes é uma doença crônica que pode ser evitada, desde que hábitos saudáveis, como uma alimentação adequada e a prática de atividade física, sejam adotados”, diz em nota Marta Coelho, coordenadora de programa de doenças não transmissíveis do Ministério da Saúde.

Segundo o levantamento, entre 2006 e 2017, o número de homens que apresentou diagnóstico da doença cresceu 54%. Em 2006, pacientes homens contabilizavam 4,6 do total; em 2017, o número passou para 7,1%, diz a pasta.

Já nelas, a diabetes cresceu 28,5% no período, apesar do número de mulheres com a condição ser maior que o número de homens (8,1%).

A diabetes é uma condição crônica em que há aumento das taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia). A glicose aumentada é uma condição tóxica para o organismo e está associada à insuficiência renal crônica, a doenças cardiovasculares e a amputações dos membros inferiores.

Tratamentos e ações de saúde pública

Tratamentos para a diabetes visam o controle das taxas de açúcar no sangue e evitam complicações. Uma das medicações mais usadas é o cloridado de metformina, que ajuda a controlar a diabetes tipo 2.

O medicamento diminui a produção de glicose pelo fígado, aumenta a sensibilidade das células à insulina e reduz a absorção de glicose pelo intestino.

Entre as metas de saúde pública, o Ministério da Saúde cita comprometimentos com a redução da obesidade. Até 2019, o Brasil espera reduzir em 30% o consumo regular de refrigerante e suco artificial.

Também até 2019, a pasta espera aumentar em no mínimo 17,8% o número de adultos que consomem frutas e verduras frequententemente.

Fonte: Portal G1


Criança-bebendo-agua-1200x858.jpg

Crianças estariam expostas a substâncias que bagunçam os hormônios

Disruptores endócrinos são substâncias químicas não produzidas pelo organismo e que podem provocar alterações no equilíbrio hormonal de uma pessoa. Pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, em colaboração com companheiros norte-americanos, descobriram que crianças brasileiras apresentam altos níveis de algumas dessas moléculas – em especial das comumente encontradas em cosméticos e produtos de cuidado pessoal.

No experimento, foram analisadas amostras de urina, coletadas em 2012 e 2013 nas cinco regiões do país, de 300 voluntários entre seis e 14 anos. Os cientistas focaram nos pequenos, porque mudanças na produção e no funcionamento de hormônios durante o desenvolvimento trariam repercussões mais graves.

Em comparação com pesquisas de outros países, notou-se uma maior concentração de partículas a exemplo de parabenos e benzofenonas. “Compostos como os parabenos, as benzofenonas, o triclosan e o triclocarban são frequentes em produtos relacionados ao cuidado pessoal”, diz o farmacêutico Bruno Alves Rocha, um dos autores do trabalho.

Ainda de acordo com o texto do Jornal da USP, crianças das regiões Norte e Nordeste foram as que mais apresentaram taxas consideráveis desse tipo de disruptor endócrino. “Talvez por serem regiões mais quentes, as pessoas usem mais protetor solar. Mas não sabemos”, especula Rocha.

Calma lá: isso não significa que o filtro solar deve ser banido. É uma questão de, antes de comprar o pote, conversar com um profissional para levar as melhores opções para casa – e, claro, ver se realmente é necessário aplicar diariamente outros produtos de beleza em crianças.

Além dos cosméticos

Outro ponto preocupante encontrado pelos pesquisadores foi a detecção de uma alta quantidade de bisfenol A, um tipo de disruptor endócrino que chegou a ser proibido na produção de mamadeiras no Brasil em 2012. Ainda assim, ele foi detectado em 98% das amostras de urina.

Essa molécula aparece em diversos lugares, como em latas de alimentos, garrafas de água, papel térmico (que nem o de notas fiscais). Apesar do achado, os níveis da substância nas amostras brasileiras foram similares aos de países como Estados Unidos e Canadá, e muito menores do que os observados na Índia e China.

Fonte: Revista Saúde


Carrapato-estrela.jpg

Os dias mais secos favorecem a proliferação dos carrapatos

Nos dias mais secos, típicos do Inverno, é preciso reforçar os cuidados com a prevenção da febre maculosa, doença infecciosa comum no Brasil, e que é causada pela bactéria Rickettsia rickettsi e transmitida ao homem pela picada de carrapatos infectados, principalmente os popularmente conhecidos como carrapato-estrela. Embora casos possam ocorrer durante todo o ano, é no período de baixa umidade, especialmente entre os meses de junho e novembro, que esses artrópodes ocorrem com maior frequência.

Veja abaixo as principais formas de prevenção da febre maculosa:

  • Use repelentes à base de icaridina, que têm se mostrado eficaz na prevenção de picadas de carrapatos em indivíduos que frequentam ambientes favoráveis aos animais
  • Use roupas de cor clara, vestimentas longas e calçados fechados, preferencialmente com meias brancas e de cano longo, que permitirão a fácil visualização dos carrapatos. Se possível, vede as botas com fita adesiva de dupla face
  • Evite sentar e deitar em gramados durante atividades de lazer ao ar livre, como caminhadas, piqueniques e pescarias
  • Vetores devem ser retirados com o auxílio de pinça, evitando o contato com unhas e o esmagamento do animal
  • Use equipamentos de proteção individual nas atividades relacionadas ao campo, como capina e limpeza de pastos
  • Faça o uso periódico de carrapaticidas em cães e cavalos, conforme recomendação do profissional médico veterinário
  • Mantenha quintais e jardins particulares limpos e capinados
  • Mantenha vidros e portas de veículos fechados ao passar em áreas com risco de infestação por carrapatos

Fonte: Revista Encontro